domingo, 18 de dezembro de 2011

Hoje estou assim... Romântica.

                                                          
Tenho um velho baú chamado coração, dele transborda o único tesouro que possuo
e posso te oferecer, o meu amor.

   




Você tá chegando devagarzinho... Tomando espaço.

Chegou numa hora que eu estava perdida, machucada...
Precisando de um rumo.
Vem trazendo na bagagem uma porção de encanto...
Dosagem de felicidade...
Proposta de uma vida...
Que pode até dar medo, por já ter sofrido demais...
Mais que estou disposta a tentar...Por esse amor!!!
                  


Arrume tempo para o amor.
Ame muito.
Não se importe com as dores e decepções do amor.
Infeliz é aquele que ainda não viveu um grande amor,
e todo amor fica enorme quando você respeita o
sentimento que habita em você e existe para fazê-lo feliz!
     
(...) como menina-teimosa que sou, ainda insisto em desentortar os caminhos. Em construir castelos sem pensar nos ventos. Em buscar verdades enquanto elas tentam fugir de mim. A manter meu buquê de sorrisos no rosto, sem perder a vontade de antes.

Caio F. Abreu 

Então se você me quer, assim como eu preciso de você, tu sabe o que fazer.

Sabe o que uma  mulher não perdoa  no homem que ele não ame com coragem
Pode ter os maiores defeitos, menos este.
Qualquer coisa é admitida, menos que não ame com coragem.
Amar com coragem não é viver com coragem.
É bem mais do que isso...
Amar com coragem não é questão de opinião.
Amar com coragem é caráter.
Vem de uma incompetência de ser diferente.
Amar para valer, para dar torcicolo.
Não encontrar uma desculpa ou um pretexto para se adaptar.
Não usar atenuantes como “estou confuso”.
Amar com fúria, com o recalque de não ter sido assim antes.
Amar decidido, obcecado,
como quem troca de identidade e parte a um longo exílio.
Amar como quem volta de um longo exílio.
Amar quase que por, por bebedeira,
Amar desavisado . Amar desatinado, pressionando,
Amar mais do que é possível lembrar.
Amar com coragem, só isso.
   Bruno de Paula 
 Te quero imensamente bem (...)
 
“E repito em voz baixa: te amo tanto.”
Caio Fernando Abreu
 

Muita gente deve achá-la
antipaticíssima,
mas eu achei linda, profunda,
estranha, perigosa.
É impossível sentir-se à vontade perto dela,
não porque sua presença seja desagradável,
mas porque a gente
pressente que ela está sempre sabendo
exatamente o que se passa ao seu redor.
Talvez eu esteja fantasiando, sei lá.
Mas a impressão foi fortíssima,
nunca ninguém tinha me perturbado tanto."
Caio F. Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário